5 Factos sobre o Brexit que podem interessar aos Traders de Forex

5 Factos sobre o Brexit que podem interessar aos Traders de Forex

5 Factos Sobre o Brexit que podem interessar aos Traders de Forex

Com a previsão do Reino Unido abandonar a UE a 29 de março de 2019, as negociações do Brexit têm sido uma das principais preocupações. Todas as decisões e desenvolvimentos nos próximos meses terão efeitos persistentes e certamente afetarão bastante os mercados financeiros em todo o mundo.

Há uma boa chance de que a Grã-Bretanha possa sair da UE sem um acordo, se o discurso de advertência da primeira-ministra Theresa May no Parlamento do Reino Unido em Julho de 2018 for tido em consideração. O impacto disso seria enorme para os mercados globais.

Tendo isso em conta, aqui ficam 5 factos que podem ser do interesse dos Traders de Forex:

brexit

1 – Os custos de transação comercial irão aumentar com novas tarifas sobre os exportadores

O Reino Unido terá que deixar a União Aduaneira Europeia, o que significa um aumento significativo nos controles sobre os bens manufaturados no Reino Unido que cruzam a fronteira europeia e enormes atrasos nas formalidades administrativas.

A BRC (British Retail Consortium) previu um aumento de 29% nos preços de produtos alimentares e bebidas importados da UE e um aumento de 7% para produtos não alimentares, incluindo vestuário e têxteis. Os bens importados mais caros colocarão pressão sobre os gastos do consumidor, afetando a economia como um todo. Além disso, as empresas que dependem de matérias-primas e consumidores baseados na UE terão de suportar cortes de margens. Isso terá repercussões significativas nos mercados globais de ações e Forex.

2 – GBP/USD pode sofrer uma grande queda

As moedas são sempre afetadas pelos saldos comerciais. O défice da conta corrente da Grã-Bretanha tem se ampliado há alguns anos e o Brexit causará um provável abrandamento de recebimento de capital estrangeiro. Isso significa que o Reino Unido perderia sua posição como um local de investimento privilegiado. O que eventualmente se seguirá é um enfraquecimento da libra esterlina, para resolver o desequilíbrio criado.
Especialistas preveem uma descida similar para a libra britânica, como o que aconteceu após o referendo do Brexit. A GBP pode cair, talvez até mais de 1,20 face ao dólar.

brexit 2

3 – Assalariados Internacionais com base no Reino Unido podem ganhar, enquanto os Stocks residenciais podem cair.

Com a valorização do dólar americano, as empresas sediadas no Reino Unido situadas no exterior podem superar o desempenho. No entanto, com o declínio da moeda doméstica, os stocks baseados em casa seriam afetados. As empresas sediadas na UE veriam o seu comércio com o Reino Unido a tornar-se dispêndioso, o que resultaria em sell-outs em massa nos mercados europeus.

4 – Os preços dos imóveis em Londres podem cair

Desde 2012, os preços dos imóveis em Londres tem vindo a aumentar, devido ao destaque estratégico da cidade como centro financeiro global. Isso levou à sobrevalorização da libra esterlina, elevando as taxas de câmbio. Os investidores colocam o seu dinheiro em imóveis, um ativo de refúgio, causando mais entradas de capital no país.

Depois do Brexit, a cidade deixará de estar posicionada num grande mercado, causando saídas de fundos imobiliários. Desde o referendo, os preços dos imóveis em Londres caíram notavelmente.

banco-inglaterra

5 – O Banco da Inglaterra reduziria as taxas de juros

Nós assistimos a uma economia britânica resiliente após o referendo. Isso pode ser atribuído à redução preventiva das taxas de juros pelo BoE (Bank of England), para acalmar os mercados. A inflação, no entanto, vem aumentando no país há algum tempo, devido aos altos preços do petróleo e a uma libra mais fraca.

Depois de março de 2019, os níveis de inflação poderiam aumentar ainda mais, levando o banco central britânico a aumentar as taxas de juros. Mas, uma política monetária mais restritiva provavelmente ocorreria se as taxas de desemprego fossem altas, portanto, muito depende da taxa de crescimento no futuro.

Os especialistas ainda estão esperançosos de que a PM Theresa May supere os obstáculos e consiga chegar a um acordo com a UE. Não é como se apenas o Reino Unido fosse afetado por um cenário de não negociação. O custo de capital para as empresas europeias também aumentará, o que enfraquecerá a economia da UE, já em crise.


Com o tempo, e à medida que nos vamos aproximando do dia 29 de Março, iremos desenvolver mais este assunto.
Fique atento.
Votos de Muito Sucesso!

Deixe uma resposta

12 + fifteen =

Voltar